Berimbau Instrumento de Corda

Berimbau Instrumento de Corda Musical


O berimbau é um instrumento de corda percutida. É constituído por uma única corda esticada em uma haste de madeira, e é dotado de uma caixa de ressonância. Esta caixa é feita de cabaça, fruto de uma planta da família das cucurbitáceas, onde esta tem o formato de uma pêra.


É um dos instrumentos mais característicos da música popular brasileira, além de esporadicamente ser utilizado em orquestras sinfônicas, seu uso está totalmente relacionado à prática da capoeira.


O berimbau (português brasileiro) ou hungo (português angolano), também conhecido como berimbau de peito em Portugal e hungu na África. O berimbau é um instrumento de corda com origem em Angola e tradicional do estado da Bahia no Brasil.


Portanto sendo o berimbau instrumento de corda este foi levado pelos escravos angolanos para o Brasil onde passou a ser utilizado para acompanhar a dança, luta e esporte acrobático chamado capoeira.


Dessa forma o berimbau instrumento de corda se tornou tema de uma canção popular do violonista brasileiro Baden Powell de Aquino, com letra composta por Vinícius de Moraes.


Considerado um dos maiores percussionistas do planeta, o músico Naná Vasconcelos, de Pernambuco, especializou-se em instrumentos de origem africana, em especial o berimbau, inclusive expandindo a sua técnica
.


Preservado na Bahia até o presente, o berimbau sempre foi um suvenir típico deste estado, vendido aos turistas muito mais como adorno. Dessa forma o instrumento serve para colorir e enfeitar os ambientes, bem diferente daquele que os capoeiristas utilizam.

 

Partes do Berimbau Instrumento de Corda

Berimbau e suas partes

 


O instrumento é composto de uma cabaça, um arco, ou verga, geralmente feito da madeira chamada biriba, a qual é envergada por um cabo de arame.


Uma baqueta com a qual se percute o arame, ao mesmo tempo em que a mão da baqueta percute o arame, esta segura o caxixi, um pequeno cesto contendo pequenas sementes ou algo similar dentro, que ajuda no som percussivo.


Com a outra mão, o instrumentista segura uma pedra ou um pedaço de metal (popularmente chamado de dobrão) que é levado de encontro ao arame, causando variação nos tons emitido pelo arco.

 

Posição mais usada para segurar o berimbau



A Verga:

A madeira usada para a confecção do berimbau deve ser flexível e resistente, a mais usada é conhecida como biriba.


Esta deve ser cortada no mato, na lua quarto minguante.
Alguns artesãos cozinham a biriba, como forma de torná-la mais resistente.


O Berimbau ainda pode ser feito com outros tipos de madeiras, tais como o cunduru, o pau d´darco, o pau pombo, a tapioca, o bambu e outras.


A Corda:

Em tempos remotos, eram usados como fio para este instrumento, cipó ou vísceras de animais. Muito tempo depois se introduziu o uso do arame comum (recozido).


Assim também descobriram que o arame temperado existente nos pneus dos carros produziam um som melhor que o cipó-timbó ou arame comum, e passaram a utilizá-lo.


A Cabaça:

É feita da Cucurbita Lagenaria, que é uma planta rampante. De uso múltiplo e secular entre os utensílios domésticos, herdados da Índia.


Deve ser utilizada quando bem seca, cortada no caule, lixada por dentro a fim de limpá-la das sementes e vestígios de fibras encontrados no seu interior.


Depois serão feitos dois furos, onde passará um cordão a fim de fixá-la na verga. Esta terá a função de ampliar o som do arame percutido.


O Dobrão:
Nos primitivos berimbaus, os músicos utilizavam as unhas do dedo polegar, como forma de obter efeito sonoro, colocando-a próxima ou distante da corda.


O nome dobrão é tomado da moeda de 40 reis, sendo essa uma peça de cobre com cerca de 5 centímetros de diâmetro.


No entanto, muitos capoeiristas preferem o uso dos seixos como forma de modular as notas e, os africanos costumam utilizar-se desta mesma pedra.


O C
axixi:
É um instrumento do tipo chocalho, de origem africana. É um pequeno cesto de palha trançado, em forma de campânula, e pode ter vários tamanhos, simples, duplo ou triplo.


Possui no seu interior pedaços de acrílico, arroz, conchas ou sementes de tinquim secas para fazê-lo soar.


A Baqueta:

Medindo cerca de 40 centímetros de comprimento, a baqueta é utilizada para percutir no arame montado na verga.


Dependendo do gosto do tocador, ela pode ser leve ou pesada. Deve ser feita com material resistente, como ticum, lasca de bambu, ou até mesmo eucalipto.


Segura-se o Berimbau com uma das mãos, à altura da cabaça, com a mesma mão, segura-se a moeda ou uma pedra de areia lavada.


Durante o toque do instrumento esta será várias vezes pressionada contra o arame, de forma a modificar o tom do berimbau.


A cabaça posiciona-se à altura do abdome do tocador, pois este modifica-lhe o som, quando aproxima ou afasta a cabaça de seu corpo.


Com a vareta na outra mão, executam-se as batidas no arame. Na mesma mão da vareta, o tocador segura o Caxixi, de forma a preencher o som da batida da vareta com o som de espécie de um chocalho.

 

Você Gostaria de Aprender Tocar Berimbau?

Clique no Link abaixo e confira esta dica

Clique aqui botão de acesso página de vendas berimbau instrumento de corda


Texturas de Sons do Berimbau

O berimbau instrumento de corda produz, basicamente, três texturas de sons:


Solta –
(sem a pedra, com o instrumento longe do corpo). 


Presa –
(com a pedra friccionando o arame, com a baqueta atuando acima da pedra, com o instrumento longe do corpo). 


Chiado –
(com a pedra tocando o arame de modo solto, livre, com a baqueta atuando acima da pedra, com o instrumento preso ao corpo).

 

Os ritmos comuns do berimbau instrumento de corda são basicamente:


Angola: Solto, preso, silêncio, dois breves chiados. 


São Bento: Pequeno de Angola (preso, solto, silêncio, dois breves chiados. 


São Bento: Grande preso, solto, solto, dois breves chiados. 


Benguela: solto, preso, preso, dois breves chiados. 


Toque do mestre Bimba:
(São Bento Grande do mestre Bimba) (solto, solto, preso, dois breves chiados combinado a solto, dois breves chiados preso, dois breves chiados ).


Abaixo vídeo demonstrativo dos Toques de Angola. Este é o ritmo mais popular do berimbau, usado na capoeira, tocado no momento de realização do jogo. Durante a roda de capoeira o toque de Angola normalmente é executado com poucas variações pelo berimbau.


O toque comanda um jogo lento e estratégico, onde o maior objetivo do capoeirista é enganar o adversário para poder lançar um contra-ataque.

 

 

A capoeira é uma expressão cultural caracterizada por seus movimentos ágeis e harmoniosos, em ritmo de música e aspectos coreográficos. Na capoeira os praticantes utilizam mais os movimentos com os pés e a cabeça e menos os movimentos com as mãos.

 

O principal instrumento utilizado na capoeira é o berimbau. É ele que dita o ritmo e o estilo de jogo dando um som característico à capoeira. Os ritmos podem ser bem variados.

 

A capoeira surgiu no Brasil, como uma forma de resistência dos escravos trazidos da África na época colonial. Além de ser utilizada para defesa física, a capoeira foi uma forma de resguardar a identidade dos escravos africanos, principalmente porque ela se consolidou no Quilombo dos Palmares.

 

A capoeira portanto passou a ser vista como uma prática violenta. Dessa forma, a capoeira foi proibida por um longo período, precisamente até 1930, quando Mestre Bimba fez uma apresentação da luta para o então presidente Getúlio Vargas

 

Getúlio Vargas, que a transformou em esporte nacional brasileiro. Atualmente, fala-se em “jogo de capoeira” ou em “roda de capoeira”, pois normalmente os movimentos são apenas simulações de ataque, defesa e esquiva entre dois capoeiristas.

 

O objetivo do jogo é demonstrar superioridade em quesitos como a força, a habilidade, a autoconfiança e, sobretudo, através do gingado.

 

Roda de Capoeira na praça da Igreja


Gingado é o movimento de todo o corpo de forma ritmada, mantendo o corpo relaxado, deslocando o centro de gravidade constantemente e mantendo-se alerta para movimentos de esquiva, ataque e contra-ataque.

 

Existem vários estilos de capoeira, sendo 3 os principais:


Capoeira Angola
É a mais antiga, da época da escravidão. Suas principais características são: os golpes são jogados próximos ao chão, o ritmo musical é mais lento e há muita malícia. Durante a roda os participantes não batem palmas.


Capoeira Regional
Mantém a malicia, mais o ritmo musical e os movimentos são mais rápidos e secos. Acrobacias são menos utilizadas. Durante a roda os participantes batem palmas.


Capoeira Contemporânea
Mais praticado atualmente, esse estilo une algumas características da Capoeira Angola e Regional.


A prática da capoeira provoca o aumento da freqüência cardíaca, o desenvolvimento muscular, a queima de gordura,  flexibilidade e maior resistência física.


A Roda de Capoeira foi registrada como bem cultural pelo IPHAN no ano de 2008. Isso de acordo com inventário realizado nos estados de Pernambuco, Bahia e Rio de Janeiro.


Em novembro de 2014, recebeu o título de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela
UNESCO.

 

Sua opinião é muito importante

Deixe abaixo seus comentários sobre o que achou desta página e das informações contidas, se foram relevantes ou se faltou a informação que você buscava.

 

Deixe um Comentário