Banjo Americano

Banjo Americano de 5 cordas – Aprenda sobre este instrumento musical, sua história, como tocar banjo, afinação do banjo, banjo para iniciantes e muito mais com a Infoproduto Brasil.

 

O Banjo Americano de 5 Cordas é um instrumento que veio da África, por incrível que pareça. Foi levado para os Estados Unidos com os escravos e se tornou um instrumento muito popular nas rodas de música e shows pelo país.  


Era um instrumento bem diferente do que temos hoje, mas algumas peculiaridades se mantiveram, principalmente o uso da pele para produzir o  som e o uso da quinta corda.


Antigamente nem sempre era a quinta corda, mas já era uma corda que começava em outro lugar do braço e era usada em uma das técnicas mais antigas de se tocar o instrumento.

 

 

Em 1619, navios holandeses desembarcavam escravos africanos no estado da Virgínia nos Estados Unidos. O tráfego de escravos para a América estava em plena atividade.


Thomas Jefferson em 1782, induziu uma lei que permitia qualquer pessoa emancipar seus escravos. Jefferson tratava bem seus escravos, mas não hesitava em vendê-los em praça pública. Ele admitia também a superioridade dos negros sobre os brancos e índios em relação à aptidão musical.


Jefferson dizia: O instrumento próprio deles é o banjar ou banjor, que trouxeram da África, e que é o antecessor da guitarra pois as suas cordas são precisamente as quatro cordas graves da guitarra. Este é o instrumento que veio a ser conhecido como banjo. Assim os escravos africanos traziam para a os Estados Unidos o banjo que fincaria raízes no folclore em todo o país.

 

Banjo Americano Instrumento Musical


O banjo é um instrumento musical de corda da família do alaúde, de corpo redondo. Consta de uma armação circular, atualmente produzida em PVC, sobre o qual se estica uma
pele (antigamente pregada, hoje presa por um mecanismo de cola sintética), um braço longo e fino, com trastes e cordas metálicas ou de tripa retorcida.

 

 

O banjo é muito usado na música folk nos Estados Unidos, pelos grupos de bluegrass e pela típica música Country. Posteriormente teve grande importância também na música jazz.


O banjo, aqui no Brasil, é folcloricamente atribuído a Almir Guineto, suposto responsável pela sua introdução no Samba na década de 70, através das rodas do Cacique de Ramos, mas há registros bem anteriores com fotos de banjos já no formato atual na década de 30.


Para introdução ao samba Almir Guineto adaptou o corpo do instrumento ao braço do cavaquinho e assim, percebeu que, além da qualidade do som, a armação reforçada do banjo reduzia os riscos de rompimento de cordas.


O banjo americano é um dos principais instrumentos da música bluegrass, junto com o Violão Folk, o Baixo acústico, o violino e o bandolim. Ele está presente em quase a totalidade das bandas de bluegrass existentes. Um exemplo deste tipo de formação de instrumentos é o grupo Nashville Bluegrass Band.

 

Partes do Banjo Americano


Vamos entender as partes do banjo, cada uma das peças, mas antes disso é importante saber que nem todos os banjos são iguais, na verdade existem duas categorias de instrumentos, os banjos OPEN BACK e os banjos CLOSED BACK.

 

Os  Banjos Open Back não possuem o RESONATOR (uma  peça  que vamos ver em detalhes à frente) que é usada para refletir o som da pele que é jogado para trás quando tocamos.  Os banjos CLOSED BACK são os banjos que tem RESONATOR, e são chamados também de Banjo Resonator.

 

Para estas duas categorias de banjo não existe apenas uma diferença estética, o som também é diferente. Nos banjos OPEN BACK nós temos um timbre mais apagado, puxando bastante os médios e graves do instrumento.


A projeção do som é  menor também e mais abafada. Os banjos CLOSED BACK têm um timbre com mais brilho, notas mais separadas e maior projeção de som.

 

Banjo Americano Estilos e Categorias

 

Vale aqui dizer que o Banjo Resonator é mais usado no  Three Finger Style em  estilos  como o Bluegrass e Country. O CLOSED BACK é preferido pelos tocadores de Clawhammer e é mais usado na Old Time Music, que seria o FOLK de raiz americano, ou a música das montanhas Apalaches, sendo usado para  acompanhar o violino, cantar e dançar.

 

Dentro  dessas  duas  categorias  nós  temos ainda mais duas SUB CATEGORIAS que se aplicam para cada um desses dois tipos de banjo. Estes tipos são os banjos para ESTUDANTE e os banjos PROFISSIONAIS.

 

Os banjos ESTUDANTE são feitos para ter um preço mais acessível, são também chamados de instrumentos de entrada, pois a ideia é introduzir ao novo banjoísta o instrumento  e suas características.


Isso não quer dizer que os banjos ESTUDANTE são instrumentos  apenas para estudos, onde com bons ajustes, e com a instalação de um captador eles podem ser usados também para apresentações ao vivo e gravações.

 

Conhecendo as Partes do Banjo

Partes-do-Banjo

1. RESONATOR / RESSONADOR – Serve justamente para “ressoar” o som do banjo. Muito da projeção do banjo vai para parte de trás da caixa, em direção ao banjoísta, essa peça ajuda a refletir o som e projetá-lo para frente. O Resonator é o que difere também os banjso OPEN BACK dos CLOSED BACK. Os banjos OPEN BACK são banjos sem essa peça, enquanto os CLOSED BACK tem essa peça que fecha a parte de trás do banjo.


2. FLANGE / FRANJA –
Peça de metal que une a Caixa ao Ressonador, alem disso ela ajuda a projetar e dar mais brilho ao som que sai do banjo.


3. POT / CAIXA –
A principal peça do corpo do banjo, a caixa geralmente é de madeira, em alguns modelos de estudante a caixa pode ser de metal e unida com a franja.


4. TONE RING / ANEL DE TOM –
Esse anel é mais comum nos banjos profissionais, também serve para dar mais brilho e ganho ao banjo. Ele é responsável por “enxugar” as notas e também dar mais definição para cada uma delas, onde esse tipo de timbre é um dos mais buscados nos banjos.

 

5. DRUM HEAD / PELE – A pele produz e amplifica o som do banjo, claro que as outras peças têm seu papel nessas funções também, mas é a pele que da o som realmente característico do banjo.


6. TENSION RING / ANEL DE TENSÃO –
Usado para tensionar a pele contra a caixa e atingir o timbre desejado.


7. J HOOKS / PARAFUSOS GANCHO –
São os parafusos que cercam a caixa e dão pressão sobre o Anel de Tensão.


8. TAILPIECE / PEÇA DO RABO –
Usada para prender as cordas.


9. BRIDGE / PONTE –
Também chamada de Cavalete, a Ponte transfere a vibração das cordas para a Pele produzir o som.


10. ARM REST / APOIO PARA O BRAÇO –
O nome já diz tudo, o lugar que vamos apoiar nosso braço.


11. COORDINATING RODS / HASTES DE COORDENADA –
Prendem o Braço do banjo na Caixa, também são usadas para ajustar a ação (altura das cordas). Alguns banjos possuem apenas uma haste de coordenada, enquanto outros, para ter mais estabilidade, possuem duas.


12. PLANETARY TUNING PEGS / TARRAXAS PLANETÁRIAS –
Tipo tradicional de tarraxas usadas nos banjos. Em banjos de estudante é mais comum usarem tarraxas como as de guitarra.


13. NECK ROD / TENSOR –
É uma haste que atravessa o braço do instrumento, é usada para regular a altura das cordas e evitar trastejamento.

 

Como Tocar Banjo

Você gostaria de aprender tocar banjo americano ?

Clique no Link abaixo e veja esta excelente dica:

Botão-Clique-Aqui

Tipos de Banjo 

Existem banjos de diferentes tipos, alguns mais tradicionais, também artesanais, outros mais bem elaborados mas no fundo todos têm a mesma estrutura.

Vamos conhecer um pouco dos quatro tipos mais comuns:

 

1. Banjo Deering Goodtime Open Back de Estudante. Não tem Resonator. É o Banjo mais barato e mais simples de uma das marcas mais bem conceituadas no mercado de Banjos 5 Cordas.

 

 


2. Banjo Stagg para Estudante.
É um banjo com Resonator e Franja. O Pot (caixa do banjo) e a Franja são uma peça única. Esse tipo de franja de metal já é feita junta com o Pot sendo comum em banjos de estudante, para produzir o timbre mais agudo e crespo dos banjos profissionais.

 

 


3. Banjo Fender de Estudante.
Tem Resonator mas não tem Franja, apenas alguns apoios para prender o Resonator no Pot, sendo este de madeira. Esse modelo é muito parecido com os banjos da Stringberg que são os mais comuns achados no Brasil, com seu preço bem mais em conta.

 

 


4. Banjo Deering Sierra.
É um banjo profissional. Ele tem resonador, franja, tone ring, tarraxas planetárias. Sua construção e acabamento é de alta qualidade.

 

 

Como Tocar Banjo


No aprendizado devemos focar inicialmente na correta postura para tocar sentado, onde esta irá nos ajudar na obtenção de melhores resultados. Quando sentado apoie o banjo entre as pernas. Você pode também usar uma correia para ter um apoio mais firme, mantendo sempre as costas retas.

 

Postura

 

Agora vamos colocar a mão direita na forma correta para fazer os dedilhados. Apoie seu braço na peça de metal que tem na borda do aro do banjo. Por sinal essa peça se chama ARMREST, ou seja, apoio para o braço, ou descanso para o braço.

 

Mantenha seu Pulso levemente inclinado para frente, apoiando os dedos MINDINHO e ANELAR na pele. Você pode apoiar os 2 dedos ou só 1, nesse caso o Mindinho, e não precisa pressionar a pele, vamos apenas apoia-los levemente para ter uma base fixa para seus dedos, isso vai ser muito importante para os dedilhados.

 

Como-Tocar-Banjo-2

 

Seus dedos INDICADOR e MÉDIO vão puxar a corda de baixo e para cima. A posição inicial que você vai praticar o dedilhado é exatamente o centro entre a PONTE e o começo do BRAÇO. Tocar mais pra frente ou pra trás dessa posição influencia na TONALIDADE do banjo.


Quanto mais perto da PONTE você ficar o som será mais brilhante e estalado. Quando mais perto do braço você vai ter um som mais encorpado e vai poder ouvir mais o som do atrito das FINGER PICK’s com as cordas.


Cordas do Banjo


As cordas do banjo, por definição, possui parâmetros de liga que definem as propriedades gerais do material. A corda é dura e com grande resistência à tração. Cada fabricante de cordas escolhe ligas de material para criar um certo tom ou reduzir o custo de fabricação das mesmas para aumentar a sua vida útil.


Não existe a melhor marca de cordas. O que existe é: “Cada marca de cordas tem suas próprias características favoráveis ​​que a tornam uma escolha perfeita para certos tons de música.” Em outras palavras, você pode tentar várias marcas diferentes de cordas e encontrar uma que pareça certa, ou que ofereça uma sensação geral de satisfação, mais do que qualquer outra marca de corda.

 

Cordas-do-Banjo

 

Devido às variações na fabricação técnica, é realmente melhor tentar diferentes marcas de cordas, para desenvolver seu próprio senso de como cada marca de corda soa e que seja mais confortável para quem toca.


Confie nos seus ouvidos, mãos e senso musical ao julgar as cordas do seu banjo. Permita que seu senso mude, porque conforme seu gosto musical muda, suas necessidades de cordas podem mudar com ele.


A maioria dos conjuntos de cordas possui a quarta corda enrolada em níquel. Ocasionalmente, você verá uma quarta corda enrolada com “bronze de fósforo” ou “bronze”. As cordas de níquel não são tão brilhantes quanto as cordas de bronze, mas o níquel definitivamente dura mais tempo. 

 

Recomendamos que troquem as cordas uma vez por mês. Os profissionais do banjo trocam suas cordas todos os dias, e às vezes após cada hora de desempenho. Muitos de nós deixamos nossas cordas nos banjos por anos. Isso não prejudica o banjo, mas, às vezes, prejudica nossa percepção com o mesmo. 


Quando as cordas estão velhas, é mais difícil ouvir quando nosso banjo está desajustado, isso soa mal. Portanto, manter as cordas alteradas ajudará a manter uma boa perspectiva e a diagnosticar problemas com seu banjo mais facilmente.

 

 

Como Tocar Banjo Americano

Você gostaria de aprender tocar banjo americano ?

Clique no Link abaixo e veja esta excelente dica:

 
Botão-Clique-Aqui

Afinação Banjo Americano de 5 Cordas


Antes de começar qualquer sessão de estudos é muito importante afinar o Banjo, onde estando com ele afinado tudo vai soar mais bonito, e de forma correta.

 

As cordas do banjo são, da primeira até a quinta (de baixo para cima), Ré, Si, Sol, Ré e Sol. Na maioria dos instrumentos de cordas quando subimos da primeira até as últimas cordas vamos das cordas mais agudas para as mais graves,


No banjo isso acontece também, da primeira até a quarta temos as cordas mais agudas para as mais graves, porém a grande diferença é que temos mais uma corda acima da quarta, que é a quinta corda, que começa com a tarraxa na quinta casa, e ela é a mais aguda de todas. Então temos essa grande diferença do banjo em relação aos outros instrumentos.


Antes de iniciar sempre é importante lembrar que as cordas devem ser apertadas lentamente. Não aperte muito e seja cuidadoso onde as cordas suportam uma grande tensão e, quando quebradas, serão chicoteadas em todas as direções, com risco de lesão especialmente para os olhos.

 

Afinar-banjo-de-5-cordas

 

1 – Segure o braço com sua mão esquerda, e com o banjo apoiado em seu estômago e observe as cinco cordas.


2 – Veja que a corda superior não percorre todo o braço do instrumento como as demais, mas tem sua tarraxa (G) no meio do braço. Esta disposição da 5ª corda é exclusiva para o banjo, e é usada para dar aquele  típico som tradicional.


3 – A segunda corda que sua mão dedilha corresponderá à primeira tarraxa (D) na parte superior, e assim por diante. Siga as cordas de baixo para cima, e você verá do que se trata.


4 – O banjo, quando afinado, soará um acorde de “G” aberto. Isto significa que, ao contrário da maioria dos instrumentos de corda, você pode apenas dedilhar sem apertar qualquer corda que mesmo assim irá soar uma harmonia agradável aos ouvidos.


5 – Encontre a corda do centro, esta será a primeira corda a ser afinada. O mais fácil é usar qualquer “afinador” mecânico que te avise quando estiver acima/abaixo do tom correto. Tudo que você precisa é um tom de referência constante e afinado, além de um ouvido sensível.


6 – Siga a corda do meio até encontrar sua tarraxa (G) correspondente. Continue dedilhando a corda e girando a tarraxa (G), até que esteja perfeitamente afinada usando qualquer um dos métodos descritos.


7- Use o mesmo método para afinar a corda abaixo adjacente, um pouco mais fina, tarraxa (B).


8 – A próxima e última corda no mesmo sentido é a mais fina, tarraxa inferior (D).


9 – Volte à primeira corda, com metade do comprimento, E Afine-a na tarraxa (G).


10 – Finalmente, vamos a última corda remanescente, que ainda não foi afinada a mais grossa. Afine-a na tarraxa superior (D).

 

Banjo para Iniciantes

 

Qual o melhor banjo para iniciar o aprendizado?

 

O banjo é um dos instrumentos de corda mais interessantes do mercado, é um  instrumento único e tem um charme todo especial e encantador. É fácil perceber por que ele chegou em todos os tipos de gêneros musicais.


Hoje o banjo é realmente acessível, comparado a muitas outras opções de instrumentos de corda, e isso permite que você inicie o aprendizado facilmente, sem a necessidade de um grande investimento inicial.

 

Iniciante-Banjo

 


Para você iniciante, o que deve procurar em um banjo?

Entre qualquer tipo de instrumento, há dezenas de variações, se não mais. Alguns banjos são mais adequados para certos tipos de música, outros são mais adequados para aqueles com habilidade mais avançada.


Inicialmente devemos observar algumas dicas nas quais você deve observar como iniciante:


1- Preço :
Existem banjos de todos os preços, afetados pela marca, qualidade do material, recursos como ressonadores, números de cordas e muito mais. Como iniciante, você não deseja investir muito dinheiro em um instrumento que talvez inicialmente não acabe usando o tanto quanto planejou.


2- Número de cordas :
O número de cordas controla não apenas quantas notas um banjo pode tocar, mas geralmente é escolhido para tocar tipos específicos de música. Iniciantes tendem a escolher banjos de 5 cordas, que são os mais usados. Os banjos de seis cordas não são frequentemente usados, e estes tendem à reprodução de músicas tocadas no violão, mas se você estiver comprando um banjo para iniciar, convém adquirir um banjo de 5 cordas.


3- Facilidade de tocar :
Muitos banjos não foram criados para serem fáceis para os iniciantes. Como tal, eles podem ter pescoços (NECK ROD) mais grossos e difíceis de se acostumar. Procure pescoços mais finos, que sejam mais fáceis de manusear enquanto você desenvolve a memória muscular para tocar. Depois disso, você pode começar a mudar para formas mais avançadas de banjo, se assim desejar.


4- Conclusão :
Os pontos acima devem ajudá-lo na escolha do melhor banjo e que se adapte melhor a você. Com isso resolvido, é hora de procurar os melhores banjos para iniciantes. É evidente que existem outras características que devem ser observadas, mas estas serão muito particular de cada um, mas as três citadas acima devem ser consideradas.

 

Sua Opinião é muito importante


Deixe abaixo seus comentários sobre o que achou desta página e das informações contidas, se foram relevantes ou se faltou a informação que você buscava.

Deixe um Comentário

infoprodutobrasil-2  Você gostaria de obter mais dicas de Cursos de Instrumentos de Corda Online?

Cursos como:

Violão;               Guitarra;

Cavaquinho;     Berimbau;

 

 

Acesse nossa Vitrina para receber todas as informações.

Clique Abaixo

Botão-Clique-Aqui